Home Notícias Crise vira oportunidade: emprego novo em tempos de coronavírus

Manaus – As restrições de circulação determinadas para a população durante a epidemia de Covid-19, não ajudam somente a frear a contaminação, mas também impulsionaram o mercado e a busca das empresas por soluções digitais. Profissionais ligados à comunicação digital conquistam empregos novos, mesmo em tempos de isolamento social, e mostram que nem tudo é recessão durante a pandemia. Uma designer gráfica e um analista de marketing digital, contam suas experiências e como transformaram a crise em oportunidade.

A experiência de Caroline Bianca, designer gráfica, aborda um dos principais medos do trabalhador na crise: A demissão e a perda de remuneração, especialmente para ela, Microempreendedora Individual (MEI). “Eu trabalhava no segmento educacional, um dos setores duramente afetado pela pandemia. E na semana que foram anunciadas as primeiras medidas de isolamento social, observei as movimentações para demissões em massa dos funcionários da escola que eu atuava. Após a confirmação da suspensão das aulas, estava sentindo que seria dispensada, ainda mais por ser MEI”, explicou inicialmente.

Sem poder andar nas ruas e com estabelecimentos comerciais não essenciais fechados, a jovem buscou as redes sociais para tentar reverter a situação. “Como alternativa ao velho modo de procurar trabalho, por meio de site de empregos e sem poder visitar empresas, usei minhas redes sociais ao meu favor. Postei stories no instagram contando toda essa situação e também pedi que amigos do Whatsapp e Facebook que indicassem vagas abertas. Foi dessa forma que eu fui entrevistada por quatro agências de publicidade diferentes e pude escolher a melhor entre elas”, comemorou.

Com o novo emprego iniciado no dia 12 de abril, a designer também conseguiu conciliar com a nova jornada de trabalho com trabalhos “Freelancer” e pretende permanecer na empresa após o fim da quarentena. Esse termo em inglês é uma gíria conhecida entre os profissionais do ramo digital, que define quem atua de forma autônoma ou que presta serviços para diferentes empresas de forma independente. “Consegui o novo trabalho e mesmo não sendo remoto (em casa), estamos tomando todos os cuidados com limpeza do ambiente e proteção dos funcionários, que estão reduzidos no local. Meu critério de escolha da agência se baseou na pretensão salarial, pois moro sozinha tenho dois gatos, o Olivetto e a Olivetta. Sendo assim, preciso ter uma boa renda para manter a casa, os gatinhos e eu. Também administro o tempo para complementar a renda com ‘freelas’ que aparecem”, finaliza.

Novos desafios

Manaus – AM 28.04.2020. Empregos novos em tempos de coronavírus. Na foto: Tiago Feitosa, publicitário. Foto: Lucas Silva/ Em Tempo

O publicitário Thiago Feitosa está vivendo uma ascensão profissional em um momento incomum para o mercado convencional. Ele conta que precisava se desafiar, após anos no mesmo trabalho e função. “Estava trabalhando de maneira estável em uma grande agência varejista, bem conhecida no mercado manauara, há mais de um ano e meio. Até que no início deste ano, estabeleci como meta atingir novos desafios profissionais, sentia que precisava ir além”, relatou.

De acordo com Feitosa, a ameaça do novo coronavírus até então era remota e era apenas conhecida nos noticiários. No mês de janeiro, apareciam os primeiros casos da doença na cidade de Wuhan na China. “Todo mundo acompanhava o contágio na China e nos países próximos, naquele momento a Covid-19 nem tinha nome ainda, era chamado de novo vírus. Em janeiro, a doença parecia improvável de chegar até o Brasil e por isso não se mostrava uma preocupação para saúde do nosso País”, relembra.  

A busca pelo novo emprego ainda reservava altos e baixos para Thiago. Após sair do antigo trabalho, o jovem conta os detalhes da jornada pelo desafio profissional. “Após enviar meu currículo e portfólio para as empresas desejadas e ter oficializado meu desligamento da antiga empresa, no fim do mês de janeiro, recebi uma proposta três dias depois. A vaga disponível era para atuar como gerente de contas em uma agência, dessa vez de médio porte. Após os primeiros contatos, aceitei o trabalho e durante a adaptação no mês de fevereiro, em plano Carnaval, não consegui me adaptar a rotina da empresa”, ponderou.

Apesar da frustração inicial, o publicitário continuou na busca de novas oportunidades. No mês de março, o contágio pelo novo coronavírus já estava ocorrendo no Brasil e já afetava o mercado. No entanto, a história de Thiago teve um desfecho feliz. “Na mesma semana eu cheguei a receber duas ligações para entrevistas, o mercado já estava parando por conta do Coronavírus, mas mesmo assim resolvi arriscar. Pedi demissão da ‘nova agência’ em 13 de março, para ficar à disposição dessas outras duas empresas. Uma agência não deu retorno, mas a outra me chamou para ser Analista de Marketing Digital. Desde 20 de março estou em home office. Arrisquei e agora estou confortável para continuar depois da pandemia nesse trabalho, espero que a instabilidade do mercado não afete gravemente o segmento de comunicação”, finalizou.

Comunicação: serviço essencial

Para duas especialistas em marketing e comunicação, a imprensa e as agências de publicidade também se tornaram extremamente estratégicas neste período de pandemia. Com a manutenção dos trabalhos em home office, é possível proporcionar a estabilização da relação com mercado e leitores, tanto para informar sobre ações em relação a funcionários e clientes, como também para fornecer dados especializados. “É muito importante que as empresas mantenham em vista que é preciso uma estratégia de comunicação ativa e inovadora, até porque será preciso recuperar o fôlego nos próximos dois trimestres, pois o calendário de eventos e visitas a clientes foi bastante afetado, então a grande questão é: o que me leva até meu cliente hoje? Acreditamos que a transformação digital seja o novo hoje”, afirma Luciana Viudes, especialista em Marketing da empresa Voith.

“Em tempos de pandemia, as empresas precisam primeiramente pensar e focar na segurança de seus colaboradores e clientes; e as estratégias de Marketing e Comunicação são primordiais neste momento, pois além da preocupação políticas e econômicas, não podemos esquecer o lado emocional das pessoas. Não fomos pegos de surpresa com a nova forma de trabalho e convivência remota, entretanto sabemos que esta não é a realidade de muitas empresas brasileiras. Mas existe aqui a oportunidade de novas tecnologias, inovações e novas formas de pensar”, afirma Carla Araújo, Coordenadora de Marketing e Comunicação da empresa TRUMPF